Blog

30 mar

A importância de manter os exames de rotina em dia

O câncer de mama, o tipo que mais mata mulheres no mundo, pode ter 95% de chance de cura se for descoberto logo. O câncer de colo do útero também. Na leucemia, o mais comum entre crianças e adolescentes, esse índice é de 75%. E o câncer de próstata, que só dá os primeiros sinais quando a doença já está em estágio avançado, tem 90% de chance de ser curado quando é detectado no início, antes mesmo dos sintomas aparecerem. Para quem se pergunta como é possível descobrir doenças tão graves como essas e ter tantas chances de sobreviver, a resposta é uma só: exames de rotina.

Os exames de rotina têm o importante papel de monitorar as funções corporais de uma pessoa e, com isso, antecipar a proteção de uma série de condições. Quando o acompanhamento médico é constante, algumas doenças conseguem ser identificadas ainda no início. E, quanto mais cedo isso acontecer, maiores serão as chances do tratamento ter resultado e da cura ser uma realidade possível. É quase como uma reação em cadeia. Para isso, no entanto, é preciso que os exames de rotina deixem de ser só uma vontade, ou uma ideia a ser feita em breve.

Muitas vezes, os exames de rotina são o único meio de descobrir a existência de determinada doença, já que algumas delas não transmitem quaisquer sintomas. É o que acontece, por exemplo, com o câncer de próstata, um dos tipos que mais acomete homens e que só manifesta os primeiros sinais quando a doença já avançou.

Os exames de rotina também são importantes para identificar alterações que, à primeira vista, podem até parecer inofensivas, mas que precisam ser tratadas para evitar problemas graves no futuro. É o caso da hipertensão, da diabetes e do colesterol alto, por exemplo.

Os exames de rotina como parte da medicina preventiva

Os exames de rotina fazem parte de um movimento que propõe uma abordagem diferente para a medicina: o foco na prevenção da doença e não no seu tratamento. Claro que o tratamento é necessário quando a doença se instala, e ninguém questiona isso. A questão, aqui, é fazer com que ela nem se aproxime.

Um dos caminhos para alcançar essa prevenção é justamente a realização de check ups de forma periódica. E mesmo que nem sempre seja possível prevenir, qualquer divergência nos resultados dos exames já pode ligar o alerta. Com isso, os médicos podem antecipar algumas ações e definir a melhor conduta para combater o problema ainda no início. Dá tempo de fazer tratamento, incorporar medicamentos na rotina e mudar hábitos de vida.

No Brasil, no entanto, os exames de rotina não têm muita tradição. Muita gente ainda possui o hábito de ir ao médico apenas quando já está doente. Não por acaso, os casos de câncer sem possibilidade de cura vêm aumentando anualmente. 

A mudança de cultura, portanto, deve caminhar na direção de tornar os check ups parte dos compromissos inadiáveis de uma pessoa. O ideal é que eles sejam realizados a cada dois anos. Quem tem mais idade e já possui uma doença crônica, por exemplo, precisa de um acompanhamento maior e deve realizar check ups a cada seis meses. Já adultos com fatores de risco, como fumantes, obesos ou sedentários, por exemplo, podem precisar rever os exames a cada ano.

A rotina do check up e a importância da realização de exames

Em geral, os exames de rotina incluem uma bateria de diferentes procedimentos a serem feitos, todos por recomendação médica. Os mais comuns costumam ser:

  • hemograma (exame de sangue) – consegue diagnosticar alterações nas células sanguíneas, como anemia, e identificar os níveis de colesterol e o índice glicêmico que indica a presença de diabetes.
  • eletrocardiograma – aponta problemas cardíacos, como, por exemplo, a arritmia. 
  • teste de esforço (teste ergométrico) – é usado como alternativa ao eletrocardiograma e consegue medir a circulação sanguínea, ajudando a identificar doenças como a angina.


Além disso, se você é mulher, ainda entra nessa lista exames específicos, como:

  • mamografia – é o teste de imagem que ajuda no diagnóstico do câncer de mama.
  • papanicolau – ajuda a diagnosticar o câncer de ovário e o câncer do colo do útero, entre outras.


E se você for homem, um exame muito comum é o Antígeno Prostático Específico, que identifica o câncer de próstata, por exemplo. Ainda assim, outros exames ainda podem ser solicitados, dependendo da faixa etária, do histórico familiar e da condição de saúde de cada um. 

Toda essa lista de exames faz parte do DNA de empresas como a Imex Medical Group. A empresa, referência na fabricação e venda de equipamentos de saúde, tem expertise em aparelhos para exames de imagem que são fundamentais em diferentes diagnósticos. É o caso, por exemplo, do mammotome (biópsia de mama à vácuo), densitometria óssea, raio X, ressonância magnética e ultrassom, entre outros.

Esse propósito, portanto, é o que faz a Imex se comprometer não só com a fabricação e comercialização de equipamentos de alta qualidade, mas também com a conscientização das pessoas em relação à importância dos exames de rotina. Afinal, a negligência com a própria saúde pode custar caro – inclusive, no sentido mais literal da palavra.