Blog

28 jun

A importância do exame de densitometria óssea para atletas

 

 

A densitometria óssea é o exame mais indicado para identificar e diagnosticar a osteoporose e outras doenças que atacam os ossos e aumentam o risco de fraturas. Mas esta não é a sua única finalidade. A técnica tem sido cada vez mais utilizada também na medicina esportiva – especialmente pela possibilidade de avaliar a composição corporal de atletas e a resposta do corpo aos treinamentos. 

Muitos especialistas consideram que se trata do método mais preciso para avaliar a gordura, o percentual de massa magra (músculo) e a densidade mineral dos ossos. Essas informações ajudam não só a descobrir a predisposição para a osteoporose, mas também para evitar lesões e fraturas que podem afetar os praticantes de atividades físicas em treinos mal orientados. Afinal, quem se exercita com frequência acaba forçando a estrutura corporal e exigindo muito do corpo.

O acompanhamento médico, portanto, é indispensável não só àqueles que já sentem a idade chegar, mas também a todos que, de uma forma ou outra, estão mais suscetíveis às doenças que afetam os ossos. E a densitometria óssea entra nesse combo.

O que é o exame de densitometria óssea

A densitometria óssea é o exame que consegue detectar a perda precoce de massa óssea. Portanto, permite focar na prevenção e combate das mais variadas doenças que atacam os ossos, como a osteoporose, por exemplo. Para esta finalidade, ele é mais eficaz que o raio-x, que só poderia detectar uma doença como a osteoporose apenas a partir de uma perda superior a 30%. A densitometria óssea, por sua vez, consegue diagnosticar o problema logo no início.

Além disso, a densitometria óssea vem sendo indicada também para outros fins. Um deles é o tratamento de obesidade e o acompanhamento de quem passou por cirurgia bariátrica. Mas ela pode ser eficaz ainda em pessoas que tiveram câncer, tuberculose, HIV, artrite reumatoide e esclerose múltipla, por exemplo. E, claro, também para o acompanhamento de atletas.

Como a densitometria óssea é usada no acompanhamento de atletas

Entre as informações que fornece, a densitometria óssea também dá subsídios para uma avaliação completa da massa muscular. Por isso, se transformou em uma importante estratégia para avaliar a condição física de quem pratica atividades regularmente. 

A precisão dos dados captados pelo exame permite descobrir onde há maior concentração de gordura no corpo e quanto do peso corresponde à gordura, ao músculo e à massa dos ossos, por exemplo. Além disso, também ajuda a acompanhar as respostas que o corpo está tendo com a realização dos exercícios. Tudo isso ajuda a planejar os treinamentos e direcionar a rotina de exercícios e dietas alimentares para o foco que se deseja alcançar. 

A utilização da densitometria óssea para atletas, no entanto, vai além do planejamento e direcionamento dos exercícios físicos. O exame também é importante para identificar a eventual perda de massa muscular. Afinal, ela pode estar ligada a um déficit de nutrientes necessários para compensar o gasto de energia durante a prática.

Além disso, pessoas que praticam atividade física com frequência também ficam mais suscetíveis a desenvolver lesões e fraturas ou, até mesmo, a própria osteoporose a longo prazo. Isso acontece porque o organismo pode reduzir, de forma gradativa, a produção de estrogênio (o hormônio feminino), que é responsável pelo fortalecimento dos ossos.

Elipse Series e Elipse HD: equipamentos com tecnologia de ponta

A Imex Medical Group, maior empresa no segmento de equipamentos de diagnósticos por imagem do país, disponibiliza duas opções de aparelhos de densitometria óssea. A ideia é tornar o equipamento acessível a todos os tipos de necessidades e estabelecimentos.

Um deles, o Elipse Series, é uma solução mais acessível justamente pelo baixo investimento. Ele foi desenvolvido para atender clínicas de menor porte e baixa rotina de exames que querem incluir a densitometria óssea na oferta de serviços. O equipamento possui tecnologia de ponta, excelente qualidade de imagem e, ainda, um opcional de exames em 3D. 

Já o modelo Elipse HD é mais robusto. Ele é capaz de oferecer informações mais precisas sobre a estrutura óssea e é um dos únicos do mercado que realiza exame em 3D para Body Composition (DXA). Além disso, o modelo ainda fornece relatórios automáticos e personalizados para cada paciente.

Com essas duas propostas, a Imex consegue atender às duas principais demandas do equipamento. Segundo o gerente de marketing da empresa, Gabriel Lebarbenchon,

“em nosso portfólio, buscamos oferecer soluções acessíveis a todos os segmentos, desde clínicas e hospitais de grande porte, até centros de imagens com menores recursos, mas que procuram oferecer diagnósticos de qualidade à população”.

E você, já pensou em utilizar a densitometria óssea para analisar a composição corporal dos seus clientes de forma mais precisa? Afinal, o equipamento pode ser fundamental para um treinamento que busca resultados bem sucedidos.

Imex Medical Group do Brasil. Todos os direitos reservados.