Blog

24 jun

As diferenças entre a mamografia digital e analógica

 

A mamografia é o principal método de rastreamento e diagnóstico de doenças mamárias, como o câncer de mama, considerado uma das principais ameaças à saúde da mulher. O exame utiliza raios X para obter imagens das mamas e, com isso, ajuda a detectar alterações  no tecido mamário, como lesões, nódulos ou calcificações, por exemplo. 

Muitas das vezes, essa técnica consegue identificar tumores ainda em fase inicial. Esta é a principal vantagem da mamografia: quando diagnosticado cedo, o câncer de mama pode ter até 95% de chances de cura. Além disso, o tratamento também tem duração menor e é menos agressivo.

Existem dois tipos principais de aparelhos de mamografia: o analógico (tradicional) e o digital. Mas independente do tipo, o exame é feito da mesma maneira: a paciente posiciona as mamas em uma plataforma, que irá comprimi-las de forma gradual nas posições vertical e horizontal. Essa compressão, que costuma causar certo desconforto nas mulheres, possui, basicamente, três funções:

  • equilibrar a espessura da mama de forma que facilite a visualização de todo o tecido mamário e captar imagens mais uniformes; 
  • espalhar o tecido mamário de forma a evitar que pequenas anormalidades fiquem escondidas;
  • produzir imagens com maior nitidez.


Durante esta posição, o sistema de raios X registra o interior das mamas e processa as imagens captadas, mas a emissão dessas imagens depende da técnica empregada pelos diferentes tipos de mamografia. 

Os tipos de mamografia

A mamografia convencional e a mamografia digital são bastante parecidas por terem o mesmo propósito de diagnóstico. As duas, por exemplo, utilizam aparelhos de raios X para captar imagens e necessitam que seja feita a compressão da mama pelas placas de metal. 

Ainda assim, há algumas diferenças entre elas. E elas já aparecem na etapa que vem depois da captação das imagens. Ou seja: na tecnologia utilizada para transformar as informações obtidas, com a radiação, em imagem. 

Por isso, conheça melhor as características desses exames.

A modalidade analógica

A mamografia analógica é a mais tradicional. O exame leva de 10 a 15 minutos para ser feito, em média. Além disso, as imagens  da mama, captadas por meio do sistema de raios X, ficam armazenadas em um filme, muito parecido com os antigos filmes fotográficos. Portanto, tal qual acontece na fotografia, esse material precisa ser protegido do calor e da umidade, já que eles podem comprometer a qualidade da imagem. Não raro é necessário refazer o exame, caso haja algum problema técnico com o filme, como falta de nitidez, por exemplo.

Os laudos emitidos a partir da mamografia analógica costumam ser mais demorados, já que dependem da revelação desse filme. Esse processo, que resulta na impressão das imagens, é o que ajuda o médico a visualizar e interpretar o seu conteúdo, fazendo o diagnóstico.

Além disso, os resultados impressos também precisam ser armazenados com cuidado, para evitar a perda do material ou alteração nas imagens.

A modalidade digital

A mamografia digital representa uma evolução importante no exame das mamas. Isso porque as imagens captadas não são armazenadas em filmes, tampouco dependem de impressão para serem visualizadas e analisadas.

Na técnica digital, o sistema de raios X emite imagens que são transmitidas de forma imediata à tela do computador. Ou seja: o profissional que realiza o exame já pode verificar, em tempo real, se as imagens estão dentro do padrão. A emissão dos laudos, portanto, pode ser feita em apenas 30 minutos.

A alta tecnologia que acompanha a modalidade digital também realiza um exame mais sensível e que amplia a capacidade de apontar pequenas alterações no tecido mamário, como as microcalcificações. Além disso, as imagens podem ser aumentadas, diminuídas ou ajustadas pelo médico no próprio monitor, permitindo uma análise mais precisa.

Tudo isso torna o procedimento mais rápido e simples. E também menos indolor. Afinal, para obter registros digitais de boa qualidade, não é necessário comprimir a mama por tanto tempo, como acontece na mamografia analógica. Além disso, a técnica digital também diminui a necessidade de se repetir o exame, o que reduz a exposição das pacientes à radiação e elimina a necessidade de utilizar produtos químicos para a revelação.

A Imex, líder no mercado de mamografia digital no país, agora conta com um equipamento de grande tecnologia, o modelo Precision. O equipamento leva menos de cinco segundos para capturar imagens precisas para o diagnóstico. Assim, por ser mais rápido e eficiente, o equipamento consegue reduzir muito o tempo em que as pacientes ficam expostas. 

Imex Medical Group do Brasil. Todos os direitos reservados.