Blog

20 set

Diagnóstico precoce de câncer é uma das medidas para aumentar as chances de cura da doença



O Instituto Nacional de Câncer (INCA) prevê que de 2020 até 2022 ocorram, a cada ano, cerca de 625 mil casos novos de câncer. A projeção apresentada na publicação
Estimativa de Incidência de Câncer no Brasil, divulgada em fevereiro, chama atenção para as formas de prevenção da doença. 

O órgão e a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendam, entre as medidas, o diagnóstico precoce com exames de rotina, além de cuidados com a saúde, como redução do tabagismo, atividades físicas e inclusão de alimentos frescos no dia a dia. Calcula-se que as medidas de prevenção seriam capazes de evitar pelo menos um terço dos casos. 

Para chegar à estimativa do triênio, o Inca considerou 19 tipos de câncer, analisou informações de 27 Registros de Câncer de Base Populacional (RCBP) e uma série histórica de 38 anos com dados sobre a mortalidade pela doença. Diante do levantamento, é possível compreender o comportamento do câncer no país, além de desenvolver políticas públicas de prevenção, como campanhas de conscientização a favor do diagnóstico precoce.

Segundo a OMS, exames em pessoas com primeiros sinais ou sintomas da doença ajudam a melhorar a efetividade dos tratamentos, impactando principalmente na redução das taxas de mortalidade. Exemplo disso são os casos em crianças e jovens.

Redução de casos entre crianças e adolescentes

Segundo o INCA, o diagnóstico precoce aumenta em até 80% as chances de cura nessa população. Em 2019 foram 12 mil crianças e jovens com a doença, o que representa aproximadamente 3% dos casos de câncer registrados no Brasil. Apesar do baixo percentual, há uma preocupação crescente, pois, de acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, muitos dos sintomas se assemelham a doenças comuns na infância e passam despercebidos por pais e responsáveis. Os sinais de alerta do câncer infantojuvenil são palidez, perda de peso, hematomas, febre, tosse persistente, dores de cabeça e vômito. Desta forma, um acompanhamento médico mais preciso, com análise de biópsia e outros exames se torna ainda mais relevante.

Na população em geral, incluindo adultos, câncer de cólon e reto, da cavidade oral e do colo do útero  por exemplo, também têm chances maiores de cura quando o diagnóstico é precoce. Desta forma, a recomendação do INCA é que o paciente busque atendimento médico assim que surgirem os primeiros sintomas. 

Outros tipos de câncer

As estimativas de novos casos de câncer para os próximos anos no Brasil devem permanecer maior entre os de câncer de pele não melanoma, com 177 mil casos novos, em seguida estão os de cânceres de mama e próstata (66 mil cada), cólon e reto (41 mil), traqueia, brônquio e pulmão (30 mil) e estômago (21 mil). De acordo com o INCA, os dados do triênio 2020-2022 não podem ser comparados a anos anteriores, pois o estudo incorpora informações que antes não eram coletadas. 

  • Televendas 0300 789 3771
  • SAC 0800 709 3771
  • Rua das Embaúbas, 601 - Fazenda Santo Antônio
    São José - SC - CEP 88104-561