Blog

14 out

Outubro Rosa: diagnóstico precoce aumenta chances de tratamento



O mês de outubro é marcado internacionalmente como o período da campanha de prevenção ao câncer de mama. Conhecido como Outubro Rosa, o movimento de conscientização é previsto em
lei no Brasil desde 2018. Além de colorir de cor-de-rosa a iluminação de prédios públicos, a legislação federal prevê a veiculação de materiais informativos que estimulem práticas e a realização de exames regulares que identifiquem precocemente a presença de nódulos nas mamas.

O câncer de mama é o tipo que mais acomete mulheres em todo o planeta, sendo responsável por 25% dos casos novos de câncer a cada ano. No Brasil, o percentual é ainda maior e corresponde a 29% dos diagnósticos. Outro dado importante é que quando a doença está no estágio 1, tem entre 90% e  95% de chances de cura, de acordo com especialistas. Por isso a importância de fazer exames e identificar com rapidez a presença da doença.

Prevenção é primordial para o tratamento

Em mulheres na faixa etária acima dos 40 anos, é recomendável realizar mamografia pelo menos uma vez ao ano, segundo recomendações da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM). Apesar de ajudar a diminuir em 60% a taxa de mortalidade entre pacientes com 10 anos após o diagnóstico, muitas pacientes deixam de realizar o exame por medo da dor causada pela pressão das mamas. O avanço no desenvolvimento de equipamentos mais modernos e precisos, no entanto, contribuiu para reduzir qualquer outro tipo de desconforto durante a mamografia. 

O diagnóstico do câncer de mama é delicado, por isso, é importante que as clínicas ofereçam rapidez e tenham empatia com as mulheres. Investir em tecnologia é uma forma de proporcionar resultados mais seguros e diminuir a dor das pacientes. 

A importância do autoexame

Além de buscar atendimento médico, de acordo com o Ministério da Saúde, é importante que a mulher observe o próprio corpo e realize o autoexame com frequência, ficando atenta aos seguintes sinais: 

  • Alterações no tamanho ou forma da mama;
  • Nódulo único e endurecido;
  • Vermelhidão, inchaço, calor ou dor na pele da mama, mesmo sem a presença de nódulo;
  • Nódulo ou caroço na mama, que está sempre presente e não diminui de tamanho;
  • Sensação de massa ou nódulo em uma das mamas;
  • Sensação de nódulo aumentado na axila;
  • Espessamento ou retração da pele ou do mamilo;
  • Secreção sanguinolenta ou aquosa nos mamilos;
  • Assimetria entre as duas mamas;
  • Presença de um sulco na mama, como se fosse um afundamento de uma parte da mama;
  • Endurecimento da pele da mama, semelhante à casca de laranja;
  • Coceira frequente na mama ou no mamilo;
  • Formação de crostas ou feridas na pele junto do mamilo;
  • Inversão do mamilo;
  • Inchaço do braço;
  • Dor na mama ou no mamilo

Lembre-se: quanto antes houver um diagnóstico preciso, maiores são as chances de cura, portanto, é preciso ficar atento aos sinais e, se houver necessidade, procure um médico.